Especialidades Atendidas
  • Implantodontia
  • Ortodontia
  • Prótese dental e sobre implantes
  • Periodontia
  • Odontopediatria
  • Estética

Banner com horário de atendimento e telefone


Share/Bookmark

Implantes Dentários sem cortes nem pontos: é possível? Sim!


É o que responde o Dr. Bruno Affonso, Especialista em Implantodontia e Periodontia e responsável pela IMPLANTE RIO - Centro de Reabilitação em Implantes.

Dr. Bruno, é possível realizar uma cirurgia para instalação de implantes, sem cortes nem pontos?

Sim, este tratamento chama-se Cirurgia Guiada pelo Computador.


Como seria este tratamento?

Após avaliação criteriosa do caso, o paciente realiza uma Tomografia Computadorizada específica para a técnica, que fornece dados suficientes para o profissional especializado avaliar sua condição óssea e planejar a quantidade e localização dos implantes. Após isto, um guia cirúrgico é confecionado baseado na tomografia, indicando o local exato para a instalação dos implantes no momento da cirurgia.


Quais são os benefícios desta técnica?

Inúmeros! Como o guia cirúrgico indica o local exato da instalação dos implantes, não há necessidade de realizar incisões (cortes), diminuindo a quantidade de anestesia e sangramento e, consequentemente o edema e a dor pós-operatória. Outros benefícios que esta técnica oferece são:

  • não necessitar de suturas (pontos);
  • redução do tempo cirúrgico;
  • possibilidade de instalação de uma prótese imediata logo após a cirurgia (CARGA IMEDIATA).


Esta técnica pode ser usada em todos os casos?

Podem se beneficiar desta técnica, todos os pacientes que tenham uma condição óssea favorável e que estejam com a saúde geral satisfatória. Nos pacientes onde há necessidade de enxerto ósseo, este deverá ser realizado meses antes da Cirurgia Guiada pelo Computador.


Pacientes idosos também podem ser beneficiados?

Estes são os mais indicados a receber esta técnica, pois os riscos que ocorrem decorrentes decorrentes de uma cirurgia convencional, tornam-se bem reduzidos! É imporante dizer, que é aconselhável para pacientes em idade avançada, serem monitorados no momento da cirurgia por um médico anestesista.


O que pode ser dito em relação aos resultados do tratamento?

A utilização de implantes dentários para a reabilitação protética na Odontologia já está mais do que consagrada na literatura. Podemos dizer que, quando um caso é bem planejado, realizado com responsabilidade, esmero e baseando-se nos estudos cinetíficos, o tratamento terá excelentes resultados.

Qual prótese dentária optar numa reabilitação oral com implantes dentários

Ao escrever este texto, procuramos esclarecer aos leitores as dúvidas mais comuns que os pacientes possuem ao fazer uma avaliação no consultório dentário.

Muitos destes, ao procurar o especialista em Implantodontia, desconhecem as diferentes abordagens protéticas associadas aos implantes dentários e cabe a este profissional, elucidar suas dúvidas. A esta questão, basicamente podemos subdividir as próteses em fixas e removíveis.

As fixas se subdivem em: unitárias e múltiplas.

Nas múltiplas devemos observar o número de implantes instalados (no mínimo 4 em cada arcada) e sua localização, que é baseada na disponibilidade óssea. Quando náo há possibilidade da instalação do implante, o profissional avalia a relação custo-benefício em realizar o enxerto ósseo. Estas próteses podem ser de resina associada a uma armação metálica ou de porcelana.

Nas unitárias, o material preferível é a cerâmica, podendo ser cimentada ou parafusada.

Em alguns casos, optamos pelas próteses removíveis (Overdentures), devido à grande reabsorção óssea que delimita o número de implantes, a má relação inter-maxilar e seu custo mais acessível. Estas próteses possuem inúmeros tipos de dispositivos de retenção (attachments): Barra-clip's, Bola, O'rings, Sistema ERA, MKI, etc.

Cabe ao paciente e ao profissional decidirem qual é a melhor prótese para seu caso, baseando-se nos critérios: disponibilidade óssea, oclusão e custo-benefício.

Dr. Bruno Affonso

Dúvidas sobre Enxertos Ósseos em Implantodontia

Algumas das dúvidas mais frequentes dos pacientes quando procuram um consultório odontológico, interessados em reabilitação com implantes dentários sao:

  • Quando há necessidade de enxerto ósseo?
  • Quais os tipos de enxertos?
  • Qual o grau de complicação?
  • Dói muito?

No entanto, antes de esclarecermos estas, devemos explicar como são os implantes dentários.

Os implantes são parafusos de titânio que são fixados no tecido ósseo intra-oral, com o objetivo de repor elementos dentários perdidos. Comportam-se como raízes dentárias e medem de 3 à 5mm de espessura e 8 a 17mm de altura. Portanto, para serem fixados na cavidade oral, precisam de um tecido ósseo remanescente de no mínimo 4mm de diâmetro e 8,5mm de altura. Quando não há disponibilidade para tanto, utilizamos os enxertos ósseos.

Existem vários tipos de enxertos e técnicas cirúrgicas de instalação dos mesmos. Basicamente, os enxertos subdividem-se em:

  • Autógeno (da própria pessoa);
  • Halógenos (materiais sintéticos como os minerais encontrados no osso) e;
  • Xenógenos (materiais sintéticos obtidos a partir de tecidos ósseos de outros animais).

Todos os materiais sintéticos possuem uma propriedade de conduzir a formação óssea e são utilizados quando precisamos preencher uma cavidade com o objetivo de aumentar a espessura e altura do osso. Encontram-se nestes casos os alvéolos dentários pós-extração e cavidades anatômicas acima das raízes dos molares superiores.

Os enxertos autógenos são utilizados normalmente em casos mais extremos de severa atrofia óssea. Normalmente utilizamos em forma de blocos ósseos retirados de áreas intraorais. Portanto há necessidade de duas lojas cirúrgicas: sítio doador e receptor do enxerto.

Vale lembrar que, quando necessitamos dos enxertos ósseos, devemos esperar em torno de 6 meses para obtermos uma maturação e consolidação do mesmo.

Como qualquer procedimento cirúrgico, existem fatores a serem observados como os cuidados pós-operatórios relacionados à alimentação, repouso e higienização. Quando o paciente é bem orientado pelo profissional e mantém o zelo necessário, a probabilidade de alguma complicação é muito pequena. Em relação a dor, existem atualmente no mercado analgésicos potentes que diminuem significativamente o grau de sensibilidade.

Dr. Bruno Affonso

Novidades no Tratamento Ortodôntico

Com o progresso da tecnologia e o avanço das pesquisas na Odontologia, novas abordagens e possibilidades de tratamento vêm surgindo. Neste contexto, a utilização de aparelhos ortodônticos na Odontologia tem possibilitado uma abordagem terapêutica mais completa nos casos mais complexos.

ortodontia - foto

Novas tecnologias vem sendo desenvolvidas dentro da Ortodontia, através de estudos científicos, para permitir um tratamento mais eficiente e rápido! Os mini-implantes ortodônticos são dispositivos fixos que são inseridos nos maxilares e possibilitam movimentos mais rápidos e difíceis, diminuindo o tempo de tratamento. Sua colocação e remoção é muito simples e em muitos casos evita a colocação de aparelhos desconfortáveis aos pacientes.

A inter-relação da Ortondontia com outras especialidades, para tratamentos orais mais complicados, vem sendo cada vez mais utilizada. Em muitos casos, a associação com a Implantodontia possibilita o alinhamento de alguns dentes inclinados, permitindo assim um correto posicionamento dos implantes no momento de sua instalação e resultado final mais satisfatório.

Devido a maior demanda estética nos dias atuais, foram desenvolvidos aparelhos em cerâmica (porcelana), que se assemelham à cor dos dentes. Sua eficácia e adesão aos dentes são excelentes e com a grande vantagem de não esconder a beleza do sorriso.

Dra. Gabriela Rezende


Designed and developed by Bridge Webdesign